2 de junho de 2011

JACQUELINE DURANS - BRASIL






                    quando tenho uma maquina na mão... 



 
 
 
 

 
 
 
 





 
 
 






Naqueles dias eu não sabia, eu não entendia...



 
 
 
 







 















 


 










 



 











Que basta de concessões feitas em nome da felicidade.
Que não está lá, nem ali, nem em Bangladesh,
Sempre esteve aqui, além desta pele que me acolhe.
Instalação Corte a Flor da minha Pele de Jacqueline Durans.
2004 Limeira, SP




 



aquarela - exposição
Faces Brasileiras 
Torre de Guevara, Ischia, ITália
2000





 


aquarela - exposição
Faces Brasileiras 
Torre de Guevara, Ischia, ITália
2000

               




aquarela - exposiçaõ
Faces Brasileiras 
Torre de Guevara, Ischia, ITália
2000






Dentro da floresta azul, 
fechada, um perfume de mato, 
um relógio, e o seu 
tic- tac, tic-tac, tic-tac, tic-tac... 
- sera o outono em mim - 
o ruido é uma constante, indicara algo?
 um tempo, um prazo, um compromisso...
é indecifrável, é vivo, é a vida nossa de cada dia.  







acrílica sobre papel kraft







acrílica sobre papel kraft






durante uma fila de banco,
papel, caneta preta,
e uma vontade de...


         

"Sem dizer palavra,
Sem imaginar nada,
Com o infinito amor na alma que tudo quer,
Vou longe, muito longe."
Rimbaud




jacquelinedurans@yahoo.com.br
blog: Palavras são sítios
Santa Teresa - Rio de Janeiro - Brasil







1 comentário: