21 de agosto de 2012

GRAPHIS AR - STREET ART - BRASIL





        A vontade de dar vida a seus personagens fez com que Graphis juntasse algumas tintas e transformasse esse sonho em realidade. No ano de 1998 percebeu que já era literalmente um artista de rua.  Na ocasião já se destacava no bairro e era muito requisitado para pintar no asfalto, temas sobre a Copa do Mundo, onde ia de rua em rua, madrugadas adentro.  Em uma destas diversões acabou se deparando com alguns sprays, fez algumas caricaturas de jogadores da seleção e não parou mais.  A partir daí passou a notar trabalhos que apareciam da noite para o dia, sem saber como ou quem os faziam.  Decidiu então colocar seus desenhos nas ruas também, sem imaginar o universo do Graffiti que estava prestes a representar.
Aos poucos foi conquistando seu espaço ao mesmo tempo em que tentava dominar a técnica e desenvolver algo cada vez mais criativo. Já no final de 1999 foi convidado a ministrar uma oficina voluntariamente e acabou expandindo isso a diversas escolas da periferia de São Paulo. Em 2000 ajudou a Coordenar um grupo de grafiteiros em 3 ações chamada “Hip Hop Urra!”, onde pintaram inclusive o muro interno e externo do extinto Presídio do Carandirú.  No mesmo ano foi convidado a trabalhar com oficinas na Febem do Tatuapé onde ficou até 2004, além do Projeto Quixote e outras participações em vários outros projetos sociais.
Teve seus trabalhos veiculados por grandes empresas como Espn, Nestlé, Gherdau, Rede Globo, Audi, Skol Hip Rock, Casa Cor, The House, Ford, MCD, Colorgin, Ray Ban, Gás Guaraná Festival, X-Games Brasil, Sony,  Nike e muitas outras. Participou de algumas exposições de telas e diversos programas de TV como MultiShow, MTV, Record, Rede TV, TV Cultura ,TV ARTE (França) e outros envolvendo o graffiti como decoração, cenografia, documentário, entrevistas e até figuração.
Em 2006 trabalhou na execução da obra da Artista Mexicana Minerva Cuevas na 27º Bienal - “Como Viver Junto” em São Paulo. Coordenou o Projeto Galerias ao ar Livre em parceria com a Coordenadoria da Juventude de São Paulo.  Projeto que tinha como meta principal, a revitalização dos espaços públicos, além do incentivo à arte e valorização do artista de rua. Ainda em 2006, ganhou o Prêmio Hutuz como destaque do Graffiti nacional.
Hoje já se pode ver suas obras publicadas em livros como “Cuidados pela Vida”, “Cidade Ilustrada”, “O Graffiti na Cidade de São Paulo” e “Por Traz dos Muros, horizontes sociais do graffiti”, além de varias participações em revistas e sites nacionais e internacionais de “Graffiti”. Seu trabalho também pode ser encontrado nas grandes capitais brasileiras e Santiago (Chile).
Em Setembro de 2008 foi convidado e participou da 1º Bienal Internacional de Graffiti de Belo Horizonte.
Em Novembro de 2009 ganhou o Prêmio Hutuz como Artista da Década.
Em 2010 expôs no Projeto Alameda no CCJ- Centro Cultural da Juventude e na 1º Bienal Internacional de Graffiti Fine Art - MuBE (Museu Brasileiro de Escultura).
Em 2011 expôs no SESC Santana, com a Obra 4 Elementos, que ficou exposta durante 6 meses no jardim externo. Além da expo Cidade ARriscada, na cidade de Porto Alegre.

           

ILUSTRAÇÕES




















Run DMC - Mary Mary 
Acrylic in Original Vinyl Cover














Wynwood -Artbasel 2016 




Wynwood -Artbasel 2016 




MOS - Meeting of Styles 2016
Houston - TX 



























































Sem comentários:

Enviar um comentário