2 de agosto de 2017

MÁRCIA COSTA - FOTOGRAFIA - BRASIL








NATUREZA __ NOSSA QUINTESSÊNCIA
Quando, pela primeira vez, um satélite artificial foi lançado no universo e girou em torno da terra, seguindo as mesmas leis de gravitação que governam os movimentos dos corpos celeste, como o sol, a lua e as estrela, um jornal americano publicou que “havia sido dado o primeiro passo para libertar o homem de sua prisão na Terra”!  A filósofa Hannah Arendt,observou que esta declaração revelava um profundo desejoacalentado pela humanidade. Sobre isso escreveu uma obra filosófica essencial,A Condição Humana.
Arendt começa afirmando quea Terra é a própria quintessência da condição humana. Com efeito, ao que sabemos, até agora, sua natureza é singular no universo, a única capaz de oferecer aos seres humanos um habitat no qual eles podem mover-se e respirar sem esforço e sem artifício.  Já o mundo _ artifício humano _ separa a existência do homem de todo ambiente meramente animal; mas a vida, em si, permanece fora desse mundo artificial, e, através da vida, o homem permanece ligado a todos os outros organismos vivos.
Não obstante, o desenvolvimento da Genética tornando o homem capaz de se criar e modificar a vida num tubo de ensaio, as severas mudanças climáticas, devido ao aquecimento global,e a comprovação científica de que o ser humano não sobrevive em altas temperaturas, vem obrigando cientistas e alguns líderes mundiais a recuarem do antigo sonho de libertar o homem da terra. 
A verdade, porém, é que na vida cotidiana, a questão ambiental ainda é vista com preconceito pela grande maioria das pessoas, da imprensa e dos políticos. A construção civil não pensa duas vezes antes de aterrar uma lagoa, drenar e canalizar um rio (matando-o), antes de construir uma barragem ou uma hidrelétrica, de desmatar e queimarhectares de floresta, cerrado e caatinga, fazer desaparecer dunas e manguezais.
Nosso progresso e nossa civilização são obras de uma espéciede homem ainda motivado a rebelar-se contra a existência humana tal como nos foi dada _ um dom gratuito vindo do nada. Este homem quer trocar a vida (esse dom gratuito) por algo produzido por ele mesmo. Não obstante, se saiba, o homem, incapaz de produzir água e oxigênio, já existem as possibilidades genéticas para criar e manipular a vida em laboratório. Além disso, o arsenal nuclear existente pode destruir toda a vida orgânica da Terra!
Minha fotografia é feita de intuição e envolvimento e quer interferirnesse desejo de vida artificial e ajudar a religar em mim e no Outro odesejo de bem-querença pela vida em abundância e pelas coisas simples e belas. Muitos são os ensaios:  puxada da rede; religiosidade, cultura e festas populares da Bahia;o Povo Krahô; Arquitetura, Paisagens e Natureza. No atual estágio, encontro na dupla exposição e EV-3 outras ferramentas para brincar e pintar com a luz em movimento, aguçando, ainda mais, esse desejo de vida natural de pessoas co-criadores do universo, que somos todos, e que quer viver em harmonia com o Grande Espírito e proteger e gozar a Casa Comum que é a Terra!


António Pescador de Piat


Arco de Oxumar


cortejo das baianas na festa



costurando a rede 1


dona do cachimbo


raimundo pescador de Itapu

retorno da pesca


rio Jaguaribe salvador


ruinas de tubarão - Bahia


Crianças Krahôs jogando pelada na Aldeia da Barra (TO), julho/16.


CORRIDA DE TORA. Maior acontecimento esportivo do povo Kraho. Celebração da passagem do katamiyê (partido do úmido, do poente da chuva, do mundo subterrâneo) para o wakamiyê (partido do sol, do nascente, do claro, do verão).
Os krahos, descendem da grande Nação Timbira e por terem a maior área preservada, são conhecidos como "Os senhores do Cerrado".


O UNIVERSO KRAHO __ FESTA DA BATATA _ ALDEIA SANTA CRUZ (To).


























Beija-flor-de-barriga-branca. Clicado em Ituberá (Ba).



Macaco prego com coco buriti. In PANTANAL _REINO DE LEVEZA E FRAGILIDADE!!!


Baleia jubarte. Avistada a algumas milhas náuticas da Praia do Forte.



Fogo-apagou/ rolinha-cascavel. Columbina Squammata. 
Parque de Pituaçú - Salvador Bahia. Ambos ameaçados pelo projeto de construção da Avenida do Atlântico.


Corruíra-de-casa (Troglodytus Musculus). Cantora popular, sempre alegrando nossos dias com seus gorjeios e trinados. Mas, não gosta de aparecer. Ainda labuto para melhorar meus registros dela.


Socozinho (Butorides Striata). Socó estudante. Certamente, filando aula, pois estava passeando no Ibirapuera.


Saí-azul-turquesa (Dacnis cayana). Como um ser tão minúsculo pode guardar tanta sabedoria e beleza. Clicada na Aldeia Santa Cruz _ TO. Alimenta-se de néctar como um beija-flor.


Reserva da Sapiranga.


Cardeal-do-nordeste (poroaria dominicana).























































Sem comentários:

Enviar um comentário